– replay

Hora: 17:34 – Ouvindo: Melanie Fiona – Priceless

Seria muito repetitivo se eu dissesse o quanto estou entediado e inseguro outra vez? Por que todos têm de me dizer que é impossível passar 5 meses sem ficar com ninguém? Por que todos dizem que manter a fidelidade é tão difícil e por que todos querem me empurrar para um caminho que não quero tomar?

Que inferno! Eu só queria que me apoiassem e me tranquilizassem ao invés de botarem mais pilha na minha cabeça já confusa! Eu só queria que ela também respondesse minhas mensagens e me tirasse essa insegurança.

Tédio, insegurança e tristeza não é uma boa combinação.

Anúncios

– quase em branco

Hora: 18:31 – Ouvindo: In my place – Coldplay

A casa estava quieta, todos dormiam, exceto eu, é lógico. Passava da meia-noite. Eu perscrutava minha vida, a lia como se fosse páginas de um diário recém descoberto. Alisava suas folhas com as pontas dos dedos para ter certeza que tudo aquilo já havia acontecido comigo. Procurava racionalidade em situações, lógica em palavras que eu dissera, ângulos pelos quais nunca havia olhado.

Cerrava os dentes e franzia o cenho. Retorcia a boca e deixava lágrimas cairem. Ria e  desdenhava, sentia nojo, o mais puro asco. Esquentava-se meu rosto e eu corava, meus lábios ressecaram. Aos poucos lembranças foram sendo filtradas, apenas como areia numa ampulheta que retia certos grãos impedindo-os de passar. Lacunas foram ficando vazias, sonhos foram se desfazendo em pó, visões foram feitas, mentiras sendo desveladas e verdades sendo aceitas…

A vida foi filtrada implacavelmente e o que sobrou não passava de um punhado de areia suja… Inevitáveis lágrimas, inexoráveis lembranças, impossíveis sonhos… Amigos, família, colegas, amores,  conquistas, talentos, tudo foi resumido nesse punhado de areia que sem força soltei no chão da minha mente. Linhas que não posso mudar. Eu estou perdido, cansado e desesperado, mas irei esperar… quanto tempo?

Uma vida em branco. Apenas uma folha de papel rabiscada talvez sem vontade.

– meio que um tédio.

 

Hora: 17:48 – Ouvindo Lifehouse – Blind

Sei lá, é meio que um tédio que se instala sobre mim algumas vezes nesses dias. É dificil de se explicar já que é dificil de se definir o que sinto. Não é  tristeza; não é chateação… não é nada especifico. Mas é presente, uma coisa presa aqui dentro. Como se faltasse algo no meu dia, como se eu estivesse esquecendo-me de algo importante.

Pode ser ilusão, imaginação minha mesma, contudo sinto como se fosse real. Será o Natal chegando e me trazendo essa sensação de falta?  Isso seria explicável e bastante convincente já que no Natal e Ano Novo faltará realmente algo para mim, algo que eu queria mais do que tudo aqui. Por um breve período quase a tive, mas a perdi. E isso fará muita falta.

Será esse o mesmo motivo do meu tédio?