– paranoia

screenhunter_112-feb-02-12-42

Os olhos fervilham, é como se centenas de pequenas bolhas de refrigerante estivessem espumando em meus olhos. Eu sinto um arrepio frio subir pelos meus braços, cruzando meu pescoço e atingindo com força meus olhos. Fecho-os automaticamente para não deixar minhas lágrimas verem a saída. Sinto vultos frustrarem meus pensamentos que não encontram lógica no que começo a pensar. Eu fico tão envergonhado de me sentir assim tão fraco. De não conseguir barrar esse sentimento tão ruim que me pisa e me faz sentir só. Continuar lendo

– estamos todos desesperados

 

Estamos todos com medo de amar. Essa é a grande verdade. Apesar de tantas opções que temos hoje, apesar dos mais variados tipos de relações, dos aplicativos de pegação disfarçados de aplicativos de namoro, dos likes, dos amei, dos crushes que aparecem sem fim, dos matches… Estamos com medo de amar. Quanto mais pessoas querem ser amadas, menos pessoas parecem dispostas a amar. Às vezes tudo dentro de um mesmo peito. Tudo batendo junto numa sinfonia disforme. “Quero, mas tenho medo.” Continuar lendo

– melhor tiro

Hora: 11:25 – Ouvindo: Ed Sheeran – Sunburn

Tem dias que quero escrever aqui e tem dias que sei que vou escrever aqui. Hoje é um dos dias que eu acordei sabendo que viria descarregar aqui. Tanta coisa aconteceu. Mais um mês. Mais um nome. Mais uma ferida. E uma das grandes agora. Cara… Sei lá, eu acho que eu sou o responsável por arruinar toda relação que tenho, seja ela social ou amorosa. Eu sinto que sempre incomodo ou sou apenas levemente aceito. Eu sinto que sou trocado muito fácil.

Continuar lendo

– promessa

abraço terno

Hora: 13:20 – Ouvindo: Vertical Horizon – The Best I Ever Had

Mais uma vez fui vítima de meus próprios delírios e sonhos. Fui mais uma vez ludibriado por minha mente. Um sonho é tudo o que foi. Mais um sonho… Belo no início, quente em seu ápice e tão triste ao final. Nunca acordar me doeu tanto. Nunca a realidade me pareceu tão má e indesejada. Foi um sonho de amor, de carinho, compreensão, paixão e medo.

Continuar lendo

– duas vezes

tumblr_l6u8wiy4pm1qbhwnxo1_500

Hora: 20:47 – Ouvindo: Plain White T’s – Hey There Delilah

E ali estávamos. Praticamente no mesmo lugar onde nos conhecemos, quase no mesmo horário até. Seus olhos cintilaram em minha direção como da primeira vez e minha respiração repentinamente me deixou. Nunca consigo mantê-la quando seus olhos esbarram nos meus e chegam acompanhados com seu tímido e fino sorriso. Na verdade, acho mesmo é que fico tão fascinado e enebriado com sua beleza que acabo esquecendo de respirar.

Continuar lendo