– melhor tiro

Hora: 11:25 – Ouvindo: Ed Sheeran – Sunburn

Tem dias que quero escrever aqui e tem dias que sei que vou escrever aqui. Hoje é um dos dias que eu acordei sabendo que viria descarregar aqui. Tanta coisa aconteceu. Mais um mês. Mais um nome. Mais uma ferida. E uma das grandes agora. Cara… Sei lá, eu acho que eu sou o responsável por arruinar toda relação que tenho, seja ela social ou amorosa. Eu sinto que sempre incomodo ou sou apenas levemente aceito. Eu sinto que sou trocado muito fácil.

Continuar lendo

Anúncios

– cinza

 

Hora: 12:48 – Ouvindo: Chevelle – Until You’re Reformed

Ok, poesia não é meu forte e nem uma das minhas coisas favoritas, mas algo bem feito, de boa sonoridade e tocante me prende a atenção e respiração. Resolvi fazer um poema em inglês, meu primeiro. Embaixo do original em inglês se encontra a tradução crua e sem rimas.

Continuar lendo

– duas vezes

tumblr_l6u8wiy4pm1qbhwnxo1_500

Hora: 20:47 – Ouvindo: Plain White T’s – Hey There Delilah

E ali estávamos. Praticamente no mesmo lugar onde nos conhecemos, quase no mesmo horário até. Seus olhos cintilaram em minha direção como da primeira vez e minha respiração repentinamente me deixou. Nunca consigo mantê-la quando seus olhos esbarram nos meus e chegam acompanhados com seu tímido e fino sorriso. Na verdade, acho mesmo é que fico tão fascinado e enebriado com sua beleza que acabo esquecendo de respirar.

Continuar lendo

– dando adeus

Hora: 17:20 – Ouvindo: One Republic – Come Home

Eu estou de partida. Indo embora. Para longe e por muito tempo. Talvez tempo suficiente para ser esquecido. Talvez tempo suficiente para as boas lembranças se apagarem, tempo suficiente para a vida mudar drasticamente. Eu estou indo embora e vou deixando tudo para trás. Vou deixando minha família, meus amigos e vizinhos, vou deixando minha cidade e tudo o que nela há. Vou deixando velhos hábitos e hábitos nem tão velhos assim. Vou acenando adeus a tudo isso e dizendo olá para outro lugar e outras pessoas.

Lógico, existe a dor. Ela não deixa de me acompanhar. É triste ver tudo ficando para trás, triste ver as lágrimas nos rostos da minha mãe e, pasmem, do meu pai. Eu não sei o que me espera, não sei o que acontecerá, nem sei quem vou conhecer. Estou caindo de cabeça dentro de um mistério, e afinal, o futuro é apenas isso mesmo: Um mistério. Vou embora com a fé de que isso vai me fazer bem, me melhorar, me consertar e trazer boas coisas. Eu preciso fugir, correr, me afastar dessa cidade, dessas pessoas, desses hábitos. Preciso começar do zero, nunca pensei que precisaria disso, entretanto dia desses percebi isso. Preciso iniciar do nada, num novo lugar, com novas pessoas com hábitos diferentes, quase como se eu precisasse de um novo nome, por que aqui… Aqui não dá mais, não para o modo de vida que quero viver. Essa cidade me polui, me corrompe, me afasta dos meus propósitos, dificulta minha decisões. Amo meus pais, mas com eles perto sempre serei dependente e acomodado, amo meus amigos, mas com eles não consigo tomar as decisões que preciso tomar, amo essa cidade, mas está impossível viver aqui. Deus, como isso é difícil. Eu gostaria de começar do zero aqui mesmo, mas não dá.

Então é isso, algum lugar me espera, pessoas que não conheço me aguardam, uma nova vida bate na minha porta com pressa, e eu só estou fechando minha mala para poder ir atendê-la e abraçá-la, aceitá-la de bom grado. Se um dia voltarei para cá depois de partir? Sim, por pouco tempo espero. Ou talvez só para visitar por pouquíssimo tempo. Ou talvez nem mesmo isso, talvez eu arranje um lugar perto daqui para vir aqui rapidinho e fugir de novo.

Posso parecer ingrato com tudo e todos, mas não é isso… Sério. Daqui levarei apenas lembranças que tentarei manter no fundo da memória. Pode até não parecer, mas na verdade, agora é que estou tomando o caminho da minha verdadeira casa, estou tomando o caminho do meu futuro. Ele me estende a mão.

Eu estou partindo. Eu estou indo embora. Com uma mala cheia de esperanças. Um novo lugar e novas pessoas. Novas oportunidades e decisões. Novo ar e um novo sol.

Estou partindo para um novo eu. Preciso abraçá-lo, preciso vê-lo.

Preciso, enfim, conhecê-lo.

– 23 dias

Hora: 00:12 – Ouvindo: Boys Like Girls – Two is Better Than One

Ela foi embora. Agora é de fato. Agora é a realidade. Ela não está mais ao meu alcance, ela não está na cidade vizinha onde eu poderia ir a qualquer hora ou de onde ela poderia sair quando quisesse. Ela foi embora, ela realmente foi. Foi um misto de sentimentos que senti na hora, algo entre tristeza e conformismo. É o melhor para ela, disso eu sei… Mas quem disse que é o melhor para mim? Talvez até seja se nosso namoro conseguir resistir à distância até Julho quando eu for para lá. Isso já é uma decisão tomada também: se eu conseguir um lugar para ficar e o dinheiro da passagem, eu irei.

Ela me deu um abraço rápido… O mais rápido dos abraços que ela deu naquele momento. Confesso que senti inveja e ciúme de um amigo dela, a quem ela mais demorou abraçando. Confesso também que passei todo o tempo em que estávamos lá esperando o ônibus com ciúmes do jeito que eles se falavam. Era tudo muito próximo e aos cochichos, não gostei, mas como um bom namorado; comportei-me, afinal eles são amigos e eu já tive provas o suficiente para saber que ela é assim com todo mundo.

Trocamos presentes improvisados também. Depois dela muito insistir para ficar com minha camisa listrada e eu dar a ela, ela me deu na parada uma camisa também, ela é preta e carrega consigo todo o cheiro dela o qual eu passei um bom tempo cheirando e querendo chorar.

Eu não sei como pude me apaixonar assim tão rápido. Foram apenas 23 dias juntos, menos de um mês, pouco mais de 500 horas juntos e eu já sinto a falta dela como se tivessem levado meus pulmões naquela bagagem dentro do ônibus. Eu sei que não vou ficar tranqüilo enquanto não tiver notícias que ela chegou lá bem, não vou me aquietar e parar de suspirar toda vez que penso nela enquanto ela não me mandar um recado ou um depoimento contando como foi a viagem.

Eu a amo. Ela sabe disso e disse que me ama também. Não sei como isso foi acontecer tão rápido. Lembro do dia em que ficamos a primeira vez, lembro o que ela vestia e bebia, lembro como me olhava e sorria. Como eu fui burro em perder todo um ano em que podíamos ter estado juntos…

Eu lembro que quando ela disse que gostava de mim, eu pensei “Isso podia ser alguma coisa em minha vida.” Mas eu atrasei isso, e agora eu a perdi temporariamente e a machuquei irreparavelmente.

Me espera, por favor. Nós ficaremos juntos outra vez. ❤