– virgem

107

Hora: 16:55 – Ouvindo: Sleeping At Last – I’m Gonna Be

Um dia você me disse que eu te deixava sem palavras. Logo você que escreve livros. E isso me pareceu de uma estranheza imensa, por que eu − também escritor − raramente me sinto sem palavras. Mas então, decidi te escrever num texto, quis te transformar em letras, sílabas, orações e complementos verbais. Quis te formar em sujeito e predicado, e qual a minha surpresa ao perceber que toda frase que eu iniciava parecia tola e infantil e eu não conseguia chegar a uma extensão correta daquilo que você é para mim. Continuar lendo

– estamos todos desesperados

f1025002solidaopeq1000imag

 

Estamos todos com medo de amar. Essa é a grande verdade. Apesar de tantas opções que temos hoje, apesar dos mais variados tipos de relações, dos aplicativos de pegação disfarçados de aplicativos de namoro, dos likes, dos amei, dos crushes que aparecem sem fim, dos matches… Estamos com medo de amar. Quanto mais pessoas querem ser amadas, menos pessoas parecem dispostas a amar. Às vezes tudo dentro de um mesmo peito. Tudo batendo junto numa sinfonia disforme. “Quero, mas tenho medo.”

Continuar lendo

– procura-se

where are you?

Hora: 00:36 – Ouvindo: Lana Del Rey – Dark Paradise

Meus olhos pesam. Meus sonhos transbordam. Minhas esperanças pendem. Sabe, a vida está boa. Definitivamente, boa. Tranquila. Tenho me tornado amigo de várias novas pessoas e muitas delas desempenham um papel em minha vida que nem elas mesmas imaginam. Mas… Não sei… Falta algo. Sabe aquele cheio que você sente dentro de si quando tudo está tão vazio ao mesmo tempo? O cômodo mais especial do meu coração tem estado desabitado há um longo tempo já. Aqui e acolá alguém pensa em bater na porta dele – ou imagino que irão bater – mas estão apenas passando. São apenas transeuntes. São apenas passageiros da vida. Aquelas velhas perguntas têm me voltado e revoltado a mente por esses dias. Continuar lendo

– promessa

abraço terno

Hora: 13:20 – Ouvindo: Vertical Horizon – The Best I Ever Had

Mais uma vez fui vítima de meus próprios delírios e sonhos. Fui mais uma vez ludibriado por minha mente. Um sonho é tudo o que foi. Mais um sonho… Belo no início, quente em seu ápice e tão triste ao final. Nunca acordar me doeu tanto. Nunca a realidade me pareceu tão má e indesejada. Foi um sonho de amor, de carinho, compreensão, paixão e medo.

Continuar lendo

– canto perdido

sozinho

Hora – 17:12. Ouvindo: Garbage – You Look So Fine / Tyrone Wells – All Broken Hearts / Eddie Vedder – Society / Goo Goo Dolls – Iris

De novo aqui com cara de derrotado. De novo aqui com vergonha até mesmo de escrever, mas essa é a única maneira que conheço de poder realmente contar como me sinto. Já, eu já chorei hoje. Sim, eu já estou triste de novo. É que sempre que encontro alguém que começo a me interessar, esse alguém não é o que penso que é ou já tem outra pessoa. Sempre é isso. E isso se repete, de novo e de novo. Me pondo mais para baixo cada vez que acontece, e eu afundo mais dentro da lama da solidão, para dentro do interior frio da tristeza que me domina, que me espanca, que me corrompe e me deixa pior do que já sou.

Por fora, pareço  tão bem, mas se você olhar melhor, bem dentro dos meus olhos, lá no fundo negro você vai me ver encolhido num canto perdido ou desprezado do meu ser. Você vai me ver como eu estou, você verá todas as feridas que ainda sangram incessantemente de mim, que derramam meu sangue sobre minha pele nua. De novo eu estou aqui sofrendo, imagino o quão pesado seja o fardo que carrego… Eu mal consigo carregá-lo sem fazer com ele me deixe curvado, quase rente ao chão.

Eu não sou como os outros garotos, eu não suporto isso como os outros garotos, eu não sei lidar com isso… Dói tanto toda vez que ocorre. Cada vez mais, mais, mais. Dentro de mim produz um barulho de pancada no metal, seco e duro. Céus, quanto mais eu vou chorar? Por quantos dias ainda viverei assim? Sem saber se existe alguém para mim. Eu me sinto um castelo de areia em frente a uma tsunami, uma casa de cartas de baralhos em frente a um furacão… Eu me sinto tão fraco e minha vontade é me jogar no chão e deixar ele me abraçar, me prender, me sugar e me enterrar.

Eu queria tanto que isso passasse, eu queria  tanto me sentir melhor, queria tanto ter alguém que eu tivesse certeza de que me amava.

Acredito que posso ser um pouco egocêntrico por que sempre acho que tudo conspira contra mim, mas são tantas coisas que me deixam triste… Na verdade, nem são tantas, o que ocorre é que elas ocorrem com tanta frequência que fazem isso comigo. A falta de confiança e de apoio dos meus pais, os relacionamentos que não dão certo ou que nem mesmo chegam a se iniciar, as patadas que levo do amor, as discussões com amigos…

Se o amor fosse um jogo e fazer pontos significasse amar e ser amado de verdade, eu acho que meu total de pontos estaria em negativo. A cada tentativa, eu conseguiria menos um ponto. E eu diria: Desculpa, eu acho que eu não sei jogar o jogo do amor =( Queria que alguém interessado de fato pudesse me ensinar.

Eu ouço essa músicas tristes e cada dedilhada do violão na música parece me atingir com força de uma pedra, com um impacto de um punhal no peito. Perdão… Eu acho que estou muito fundo nos meus pensamentos, talvez isso não esteja fazendo sentindo nenhum. Talvez nem faça mesmo, e só eu possa entender. Desculpe, eu não consigo mais digitar, meus olhos estão cheio de lágrimas e embaçados.

Quando você pensa mais do que você quer, seus pensamentos começam a sangrar. 😦 😦