– virgem

107

Hora: 16:55 – Ouvindo: Sleeping At Last – I’m Gonna Be

Um dia você me disse que eu te deixava sem palavras. Logo você que escreve livros. E isso me pareceu de uma estranheza imensa, por que eu − também escritor − raramente me sinto sem palavras. Mas então, decidi te escrever num texto, quis te transformar em letras, sílabas, orações e complementos verbais. Quis te formar em sujeito e predicado, e qual a minha surpresa ao perceber que toda frase que eu iniciava parecia tola e infantil e eu não conseguia chegar a uma extensão correta daquilo que você é para mim. Continuar lendo

– procura-se

where are you?

Hora: 00:36 – Ouvindo: Lana Del Rey – Dark Paradise

Meus olhos pesam. Meus sonhos transbordam. Minhas esperanças pendem. Sabe, a vida está boa. Definitivamente, boa. Tranquila. Tenho me tornado amigo de várias novas pessoas e muitas delas desempenham um papel em minha vida que nem elas mesmas imaginam. Mas… Não sei… Falta algo. Sabe aquele cheio que você sente dentro de si quando tudo está tão vazio ao mesmo tempo? O cômodo mais especial do meu coração tem estado desabitado há um longo tempo já. Aqui e acolá alguém pensa em bater na porta dele – ou imagino que irão bater – mas estão apenas passando. São apenas transeuntes. São apenas passageiros da vida. Aquelas velhas perguntas têm me voltado e revoltado a mente por esses dias. Continuar lendo

– eles

melhor_amigo

Hora: 19:30 – Ouvindo: Shinedown – If You Only Knew

Eu queria tê-los sempre comigo. Queria carregá-los para todas as direções em todos os caminhos e voar em todos os ventos e mergulhar em todas as águas com eles. Queria, se pudesse, carregá-los como anéis – sempre podendo olhar para eles, sempre podendo estar ao alcance de meus dedos. Jamais imaginei que a falta deles me deixaria como um cômodo vazio, incômodo.

Continuar lendo

– dias e dias

As palavras não chegam com clareza ao meu cérebro, eu tento por algo pra fora dele, mas quando elas vão chegando, escorregam de mim, os dedos ficam inertes sobre o teclado sujo esperando por ações que não vem. O que acontece é que minha vida mudou de forma tão brutal que eu nem mesmo sei descrever como tudo ocorreu. Dois meses atrás eu era um; hoje sou outro.

E tudo foi embora junto e tudo chegou também junto. Meus contatos tornaram quase todos pessoais e os virtuais que sobraram (os realmente importantes e que sentem minha falta) posso contar nos dedos das mãos. Acontece que  a vida deu uma guinada e aquilo que devia ficar para trás ficou. Eu não acredito muito em horóscopo, mas um que vi, sobre o meu signo me chamou atenção esses dias, dizia: “Esse ano, você terá que decidir o que realmente você quer e o que não quer, terá que deixar aquilo que ‘acha’ importante e começar a valorizar aquilo que você anda deixando de lado. Não preocupe-se com o que poderá acontecer, não tente prever o futuro, siga apenas os caminhos que se apresentarem a você.”

É incrível como isso traduz o que tem acontecido comigo. Deixei forçosamente algumas coisas que achava de vital importância e logo depois, coisas que eu julgava banais, apresentaram-se a mim com uma importância que eu nunca havia reparado. Eu estou seguindo os caminhos que se trilham a minha frente, eu estou tendo fé, estou confiando no que não vejo. Eu sinto uma força maior me guiando, como se me levasse pelo caminho que tenho que seguir, e o melhor de tudo é que eu conheço essa força, eu a quero na minha vida.

Eu sei que em breve, se tudo continuar bem e há de continuar, a vida vai mudar mais bruscamente ainda. Eu sei que estou fazendo novos amigos, que estou construindo relações e abrindo novas portas antes renegadas, eu sei que cada escolha terá sua reação, que cada escolha trará algo novo e diferente. Agora já consigo captar as palavras que quero, rs, isso é incrível.

Eu sou muito grato por tudo.

Obrigado, sinceramente, muito obrigado.